O Projeto Athena é uma iniciativa da Intel, em colaboração com fabricantes de notebooks, para garantir alta qualidade nos produtos, de forma que todos os usuários tenham a mesma experiência de uso. O objetivo da empresa é impulsionar inovações na indústria de computadores, e as parcerias devem render laptops premium capazes de atender às principais necessidades dos consumidores atualmente.

A iniciativa já havia sido apresentada na CES 2019, mas a companhia revelou mais detalhes para jornalistas brasileiros durante o Intel Day, na última semana. Na ocasião, Ricardo Ferraz, líder do Setor de Computadores da Intel no Brasil, explicou os planos da empresa com o projeto. “Em cima de cada necessidade do usuário, a gente desenhou qual é o PC ideal para cumprir essa tarefa. Nós estamos tentando integrar o mercado para transformar isso em algo novo para a próxima geração de PCs”, comentou o executivo.
O Projeto Athena foi criado com base em pesquisas que identificaram as reais necessidades dos usuários ao comprar um notebook. Assim, a Intel estabeleceu um conjunto de requisitos de experiências para que as fabricantes adotem em seus produtos a partir de seis vertentes, são elas:

  • Performance: esse é um quesito fundamental, afinal, todo usuário espera respostas rápidas e bom desempenho do seu notebook. Para isso, a Intel aposta em equilíbrio de hardware e software nos produtos.
  • Bateria: essa é uma das especificações que mais comprometem a mobilidade dos notebooks. Se o produto não tiver uma bateria de longa duração, o usuário terá que passar algum tempo com o laptop ligado à tomada. Por conta disso, a companhia promete notebooks com bateria capaz de durar por até nove horas e carregamento rápido, fazendo com que a pessoa não dispense o carregador enquanto estiver fora de casa, por exemplo.
  • Conectividade: a ideia é que os notebooks do Projeto Athena possam estar sempre conectados e prontos para uso, sem deixar a segurança de lado. Para isso, a empresa aposta em conectividade 5G e latência baixa.
  • Gráficos: o computador deve estar sempre pronto para uso, com rápido tempo de inicialização.
  • Novos modelos: o design do notebook deve ser capaz de atender a diferentes necessidades do usuário, desde trabalhar até assistir a filmes. Por isso, a Intel propõe que os modelos do Projeto Athena se adaptem a diferentes momentos do dia, podendo ser usado como notebook ou tablet, por exemplo.
  • Inteligência artificial: a tecnologia será usada para auxiliar o usuário na execução de tarefas e otimização do sistema. A ideia é que facilitar a vida das pessoas, principalmente por meio de comandos de voz.

Embora o projeto inclua características que as fabricantes já vêm tentando adicionar em seus produtos, a Intel afirma que isso não acontece de forma unificada. Como a empresa tem contato com cada parte do processo de produção de um notebook, pode influenciar em diversos setores da indústria, sendo uma espécie de catalisador. Por isso, a Intel pretende liderar a indústria com esse projeto e acelerar o processo, que até então é fragmentado. “Hoje é tudo muito pulverizado, mas não tem ninguém que estabeleça a nossa visão comum de indústria. O nosso papel agora é definir onde a gente quer chegar e criar uma consistência para isso.”, afirma o executivo.

Diversas fabricantes famosas fazem parte da iniciativa, como Asus, Dell, HP, Lenovo, Microsoft, Google e Samsung. A ideia é criar um ecossistema colaborativo para acelerar o desenvolvimento do mercado de computadores. Por fim, a Intel será responsável por verificar todos os produtos para ter certeza de que eles se enquadram dentro dos padrões de qualidade propostos pelo Projeto Athena, desde o design até performance e bateria.

De acordo com a empresa, a evolução dos PCs é importante neste momento porque estamos na chamada “era das distrações”, em que todo mundo tem muita coisa para fazer ao mesmo tempo. Além disso, segundo a fabricante, as pessoas estão buscando produtos de fácil mobilidade e, embora o celular seja útil em muitos casos, mais de 80% dos usuários prefere realizar as tarefas mais importantes no computador. Assim, a ideia do projeto é criar inovações com foco em portabilidade e que ajudem o consumidor a se manter concentrado no que está fazendo e sempre pronto para trabalhar.