fbpx

James Gunn é recontratado para Guardiões da Galáxia 3

O mundo de Hollywood sofreu uma reviravolta surpreendente nesta sexta-feira (15), com James Gunn sendo recontratado para dirigir Guardiões da Galáxia Vol. 3 na Marvel Studios. É a culminação impressionante de uma jornada polêmica que começou em julho de 2018, quando o diretor havia sido demitido pela Disney quando tweets antigos de Gunn ressurgiram por motivos ainda mais cabeludos.

Para acompanhar essa história com mais linearidade, voltemos ao princípio: mesmo com a recepção positiva de Guardiões da Galáxia Vol. 2, Gunn foi muito relutante para assinar contrato para dirigir o terceiro filme dos anti-heróis cósmicos, e por um motivo nobre: todos os seus projetos contaram com o ator Michael Rooker, e como seu Yondu morre no segundo filme, seria sua primeira produção sem o amigo de longa data. Ainda assim, Gunn fechou contrato e já começou a trabalhar no roteiro de Guardiões 3 no final de 2017, com uma previsão de lançamento para 2020; exatamente três anos após a estreia do segundo filme.

Uma faceta de Gunn que seus fãs certamente conhecem é que o diretor é muito ativo nas redes sociais, tendo realizado Q&As e lives para interagir com o público – já tendo chegado a comparecer à Comic Con Experience de São Paulo em 2016. Não restrito apenas aos assuntos de cinema, Gunn é um forte ativista político contra o governo de Donald Trump, atual presidente dos EUA. Constantemente, o diretor contestava e desafiava as declarações de Trump no Twitter, algo que também provocava a ira da ala republicana da internet.

Eis que a bomba explode em julho de 2018. Através de um movimento iniciado por um membro do partido republicano uma série de tweets antigos, datados de 2009 a 2010, de Gunn começaram a ser revelados. O conteúdo de tais publicações é certamente questionável, já que trazem piadas com pedofilia, sexo, escatologia e diversos outros temas repreensíveis – especialmente em uma era mais delicada. Ainda que Gunn tenha escrito um longo texto se desculpando pelos tweets e justificando-se como uma tentativa “infantil e imatura” de trazer um humor provocador, a pressão pública foi demais, e a Disney acabou demitindo Gunn e colocando a produção de Guardiões da Galáxia 3 em pausa.

Na internet, Gunn teve muitos apoieadores. Jornalistas culturais como Steve Weintraub do Collider e Peter Sciretta do /Film se mostraram como vozes fortes em uma campanha para recontratação do diretor. Mas a bola de neve ficou ainda maior quando diversos diretores de Hollywood passaram a recusar propostas da Marvel para assumir o projeto, como Taika Waititi e Edgar Wright, e todos se mostravam fiéis a Gunn, exigindo seu retorno. O elenco de Guardiões da Galáxia também demonstrou forte apoio, com uma carta assinada por Chris Pratt, Zoe Saldana, Dave Bautista, Bradley Cooper, Vin Diesel, Karen Gillan, Sean Gunn, Michael Rooker e Pom Klementieff viralizando nas semanas seguintes à sua demissão. Todos queriam Gunn de volta, especialmente Dave Bautista, que demonstrou forte insatisfação com a Disney em seu perfil oficial do Twitter.

Então, eis que James Gunn fez a jogada mais ousada: saído da Marvel, foi para a concorrente DC desenvolver a continuação/reboot de Esquadrão Suicida, recebendo carta branca para fazer literalmente o que quiser. O projeto já está em produção na Warner Bros, com data de estreia marcada para junho de 2021, e Gunn já havia até começado a seleção de elenco, contratando Idris Elba para substituir Will Smith como o Pistoleiro e até mesmo o papel de Pacificador para seu colega Dave Bautista. A Warner, segundo fontes do Deadline, adorou o roteiro de Gunn.

Entre esse meio tempo, o presidente da Marvel Studios, Kevin Feige, afirmou que o projeto ainda iria acontecer; e que o roteiro de Gunn seria mantido. Toda a campanha deu certo, já que a Disney anunciou nesta sexta-feira (15) que James Gunn estava recontratado como diretor de Guardiões da Galáxia Vol. 3, e a produção de Esquadrão Suicida 2 permanecerá como planejada. Assim que Gunn finalizar seu trabalho com o filme da DC, cujas filmagens devem começar no final do ano, ele voltará para a Marvel para mais aventuras encabeçadas por Peter Quill e seus amigos – com um lançamento estimado apenas para 2021 ou 2022, já que a Marvel agora enfrentará um inferno de cronogramas e agendas de elenco.

Foi uma jornada cheia de surpresas, hipocrisia e muita lavagem de roupa suja em público, mas agora James Gunn é literalmente um homem de dois mundos ao ter projetos simultâneos na Marvel e na DC, e os fãs finalmente podem ter essa certeza: Guardiões da Galáxia Vol. 3 vai acontecer.

Por: Observatório do Cinema

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Must Read

James Gunn é recontratado para Guardiões da Galáxia 3

O mundo de Hollywood sofreu uma reviravolta surpreendente nesta sexta-feira (15), com James Gunn sendo recontratado para dirigir Guardiões da Galáxia Vol. 3 na...

Capitã Marvel: Qual o futuro da heroína nos cinemas?

Capitã Marvel chegou aos cinemas e fechou o seu primeiro final de semana com o saldo positivo, somando US$ 456 milhões  mundialmente - a maior bilheteria...